Formigas - DDMares Controle de Pragas

Formigas

Embora as formigas sejam facilmente reconhecidas, outros insetos se assemelham muito a elas, como alguma vespas. A característica marcante na identificação de uma formiga é a presença da cintura, estrutura delgada que separa o masossoma do gáster. Outra característica importante está na antena, que apresenta a forma de um cotovelo, sendo o primeiro segmento junto à cabeça, muito longo e correspondente ao escapo.
Na zona urbana, as formigas vivem associadas ao homem, principalmente pela disponibilidade de locais para fazerem seus ninhos e dispersão para longas distâncias, tende a mudar frequentemente seus ninhos de locais, assim resultando em ninhos sem estruturação e defesa muito baixa. O sucesso no controle de formigas urbanas depende do conhecimento correto na identificação da espécie como praga e sua biologia para controlar e diminuir os prejuízos causados por esses insetos. Não é aconselhável que pessoas sem conhecimento em controle de pragas tentem resolver problemas com formigas, porque em vez de resolver acabam aumentando o número de formigas que infestam o local. Existem diversos tipos de formigas encontradas nas zonas urbanas que causam algum tipo de prejuízo e transmitem doenças ao homem, entre elas as Saúvas, Carpinteiras, Fantasma, Quenquém, Louca, Argentina e Acrobática.

Pernilongo - DDMares Controle de Pragas

Pernilongos

Os mosquitos, também conhecidos por pernilongos, muriçocas, sovela, mosquito-prego ou carapanãs pertencem à Ordem Díptera e possuem apenas um par de asas membranosas, correspondente às asas anteriores, daí o nome da ordem (di = duas, ptera = asas).
São de grande importância na saúde pública, pois podem transmitir várias doenças, como a febre amarela, dengue, malária, alguns tipos de encefalite, filariose etc. Os mosquitos são também grandes causadores de incômodo, sendo que muitas áreas de recreação deixam de ser utilizadas devido à presença destes insetos em determinadas épocas do ano. Dentre as espécies importantes de mosquitos estão as do gênero Anopheles e Aedes.

Baratas - DDMares Controle de Pragas

Baratas

As baratas constituem um grupo de insetos muito antigo e altamente bem sucedido. Surgiram há mais de 300 milhões de anos, cerca de 150 milhões de anos antes dos dinossauros. Hoje, existem mais de 4.000 espécies descritas, que sobreviveram graças à estratégia evolutiva de generalização. Apesar das varias espécies existentes, duas se destacam por causar desconforto, doenças e prejuízos ao homem: são as Periplaneta Americana e as Blattella Germânica.

Periplaneta Americana: É a maior entre as baratas urbanas, com até 50mm de comprimento, é muito comum em áreas urbanas distribuída por todas as regiões tropicais e subtropicais do mundo, penetrando também nas zonas temperadas. São conhecidas com baratas voadoras, baratas de esgoto e baratas grandes, são muito comuns em todo o Brasil, sendo encontradas facilmente em áreas urbanas. São encontradas associada ao homem em restaurantes, indústrias de alimentos, supermercados, padarias, depósitos de garrafas usadas, cozinhas de navio, transportadoras etc. Vivem dentro de esgotos, caixas de gordura, fossas, galerias de águas pluviais, tubulações elétricas, lixeiras etc.

Blattella Germânica: São conhecidas como baratinha de padaria, barata alemã, francesinha, paulistinha ou germânica. São as menores das espécies, encontradas em apartamentos, supermercados, açougue, padarias, fábricas de alimentos, lanchonetes, restaurantes, embarcações, trens e ônibus. Geralmente ficam abrigadas em azulejos quebrados, batentes de portas, armários, prateleiras de madeiras, vãos, cavidades, rachaduras em geral, conduites elétricos, motores de equipamentos em cozinhas, atrás e de baixo de pias e balcões.

Escorpião - DDMares Controle de Pragas

Escorpião

Atualmente, existem mais de 1.000 espécies de escorpiões encontradas no mundo. Com exceção da Antártida, não são exclusivos dos climas tropicais e subtropicais e podem ser encontrados também nos Alpes Suíços, Europa, Planícies Canadense, floresta Amazônica e em demais regiões.
Os escorpiões carregam seu veneno em 2 glândulas, que ficam localizadas antes do ferrão, que é responsável por perfurar e introduzir o veneno no corpo da vítima. No Brasil, as espécies mais comuns são os escorpiões amarelos e os escorpiões pretos, também são encontradas outras espécies no Brasil, conforme suas regiões.
Nas áreas urbanas, podemos encontrar os escorpiões em lugares onde haja infestações de baratas, terrenos baldios, locais com acúmulo de entulhos, jardins sem a devida conservação etc. O escorpião amarelo (Tytius Serrulatus) tem de 60 a 65mm, coloração amarelada; o preto (Tytius Bahiensis), também possui de 60 a 65mm e tem coloração castanha escura. Ambos alimentam-se de baratas e outros insetos.

Moscas - DDMares Controle de Pragas

Moscas

Podemos reconhecer as moscas pela cabeça, nitidamente distinta e móvel, com dois grandes olhos facetados, isto é, como se fossem divididos em várias partes (facetas). Algumas moscas possuem o aparelho bucal com capacidade para absorver líquido, enquanto que em outras o aparelho bucal é do tipo picador.
A mosca doméstica (Musca domestica) é uma espécie não picadora, provida de tromba mole. Os ovos são brancos e ovóides, com uma das extremidades mais larga, medindo cerca de 1mm de comprimento. Cada fêmea coloca por volta de 120 a 150 ovos de cada vez, sendo depositados em substâncias orgânicas, como lixo, esterco ou qualquer outro tipo de matéria orgânica em decomposição. Os ovos demoram, geralmente, de 8 a 24 horas para a eclosão das larvas, dependendo da temperatura. A mosca doméstica, espécie mais comum em ambientes urbanos, têm uma maior atividade nas horas mais quentes do dia e, à noite, passam um longo período de repouso, pousada em fios, cercas, vegetações, etc. Esse período de descanso pode ser comparado ao sono do homem ou de animais, entretanto, dormir é uma característica que não se aplica às moscas, tampouco a outros insetos, elas apenas repousam. Também transmitem várias doenças, causadas por vírus, como varíola, poliomielite, oftalmia purulenta etc.

Lacraia - DDMares Controle de Pragas

Lacraia

As lacraias são insetos que possuem o corpo segmentado com um par de pernas por segmento, e alimentam-se de pequenos insetos. Nas áreas urbanas, são encontradas normalmente em jardins, sob matéria orgânica acumulada (folhas, cascas de árvore), sempre em locais úmidos. Ocasionalmente podem ser encontradas dentro da residência. São insetos que possuem veneno, o qual utilizam para paralisar a presa, geralmente de pequenos insetos. Alguns tipos de lacraias costumam ocasionar acidentes com maior frequência no homem.
São as lacrais dos gêneros Cryptops, Otostigmus e Scolopendra. O indivíduo acidentado sente dor localizada intensa e a evolução da picada depende da sensibilidade da vítima ao seu veneno.
Algumas medidas preventivas devem ser tomadas, como a utilização de luvas de raspas de couro ao trabalhar no jardim, colocar ralos protetores no chão e tanques, manter o terreno sempre limpo e roçado, fechar frestas em muros e paredes, examinar roupas e toalhas antes de manuseá-las para evitar acidentes com lacraias.

Aranha - DDMares Controle de Pragas

Aranhas

As aranhas são o maior grupo dos aracnídeos. Vivem em quase todos os lugares sobre o solo, sob pedras, dentro de frestas, equipamentos, no meio da grama, árvores e outros lugares. Todas são carnívoras e alimentam-se principalmente de insetos.
Algumas das espécies, quando encontradas dentro das edificações, podem ter entrado no local acidentalmente, sendo levadas para o interior das residências em objetos vindo da área externa, mas podem causar acidentes graves ao homem.
Dependendo da espécie, quando picam o homem e animais domésticos podem causar graves ferimentos, que resultam em dores violentas no local que se irradia pela região atingida, nesses casos a vítima pode apresentar tonturas, queda de pressão, vômito e espasmos.
Caso ocorra a picada, a vítima deve tentar identificar a espécie ou mesmo capturar o inseto, procurando o posto de atendimento médico mais próximo para aplicação do soro antiaracnídico e de anestésico ao redor da picada.
Exemplo de algumas aranhas que podem causar acidentes graves: Armadeira, aranha de jardim ou Tarântula, Viúva Negra e Aranha Marrom.

Pulgas - DDMares Controle de Pragas

Pulgas

A falta de movimento na casa durante as férias ou durante o período em que um imóvel não é alugado é fator determinante na infestação de pulgas. Os ovos e as pupas são “impermeáveis” a inseticidas, cuja ação se restringe às larvas e aos adultos da pulga. Assim, o controle desta praga deve ser feito tanto através de medidas preventivas quanto curativas. Existem diferentes espécies de pulgas, que atacam homens, cães, gatos e ratos.

Carrapatos - DDMares Controle de Pragas

Carrapatos

Os carrapatos são parasitas externos (ectoparasitas) de animais domésticos, silvestres e do homem. Atualmente, são conhecidas cerca de 800 espécies de carrapatos em todo o mundo, parasitando mamíferos, aves, répteis ou anfíbios. Os ixodideos, frequentemente denominados “carrapatos duros”, apresentam um escudo rígido, quitinoso, que cobre toda a face dorsal do macho adulto.
O Rhipicephalus sanguineus (carrapato vermelho do cão) é um carrapato típico de três hospedeiros (larvas, ninfas e adultos vivendo em hospedeiros separados), comumente encontrado parasitando cães e outros mamíferos e aves. Não foram encontradas evidências de que esta espécie possa parasitar o homem, limitando-se aos cães e gatos. Os adultos preferem instalar-se na pele, entre o coxim plantar e as orelhas do cão. Seu ataque, causa grande irritação e desconforto nos animais, com perda de sangue. Têm uma forte tendência a escalar muros e cercas, freqüentemente abrigando-se em frestas e forro dos canis, em grande número, debaixo de móveis e outros locais.
O Carrapato Estrela (Amblyomma cajennense) tem como hospedeiro preferido da fase adulta o cavalo e o boi, podendo parasitar também outros animais domésticos e silvestres. Esta espécie comumente ataca o homem em enormes quantidades nas estações secas e frias, em qualquer fase de sua evolução. Sobem em grande número nas gramíneas, em certas épocas do ano, atacando o homem, produzindo intenso prurido e uma lesão granula matosa, especialmente ao redor da cintura e pernas, que pode levar vários meses para cicatrizar. É o vetor da Babesiose equina no Brasil e da Febre Maculosa no homem, na América Central, Colômbia e Brasil, causados pelo Rickettsia rickettsi, uma zoonose que circula entre carrapatos e hospedeiros vertebrados.
Existem outros tipos de carrapatos, como o Carrapato da Orelha dos Equinos (Anocentor nitens), o Carrapato de Bovino (Boophilus microplus) e o Carrapato de Galinha (Argas miniatus), menos comuns em animais domésticos e homens.

 

 

Voltar